Petistas condenam fuga de Moro para os EUA e avisam que vão propor a convocação do ex-juiz na Câmara

Parlamentares do PT afirmaram pelo Twitter que o ministro da Justiça, Sérgio Moro, preferiu fugir para os Estados Unidos ao invés de prestar esclarecimentos na Câmara dos Deputados sobre os escândalos das mensagens atribuídas a ele e a procuradores da Operação Lava Jato, pelo site The Intercept Brasil. A informação sobre a desistência de Moro, […]

24 jun 2019, 10:28 Tempo de leitura: 3 minutos, 39 segundos
Petistas condenam fuga de Moro para os EUA e avisam que vão propor a convocação do ex-juiz na Câmara

Parlamentares do PT afirmaram pelo Twitter que o ministro da Justiça, Sérgio Moro, preferiu fugir para os Estados Unidos ao invés de prestar esclarecimentos na Câmara dos Deputados sobre os escândalos das mensagens atribuídas a ele e a procuradores da Operação Lava Jato, pelo site The Intercept Brasil. A informação sobre a desistência de Moro, marcada para quarta-feira (26), foi publicada pelo jornal O Globo. Em nota, o ministro comunicou apenas que não comparecerá à Câmara e não marcou uma nova data para a audiência.

A mudança na agenda ocorre após um novo vazamento de mensagens, divulgadas neste domingo (23), pelo jornal Folha de São Paulo em parceria com o The Intercept Brasil. Na matéria, os procuradores da Lava Jato se organizaram para blindar o então juiz Sérgio Moro de questionamentos junto ao STF.

Ao questionar a fuga de Moro, a presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann (PR), disse que ele ainda deve explicações ao País. “Fugiu?! O que teme Moro? A convocação foi transformada em convite e ele tinha marcado sua ida. Agora, voltará a ser convocado. Moro tem muitas explicações a dar ao Brasil”, afirmou a deputada federal.

O deputado Carlos Zarattini (PT-SP) também estranhou o cancelamento repentino da reunião com Moro na Câmara. “Muita coincidência essa viagem misteriosa de Moro e o procurador Dallagnol aos EUA no momento em que a Folha de S. Paulo revela parte das ações políticas da Operação Lava Jato. Veracidade das mensagens confirmadas e conluio comprovado. Será que foram pedir apoio para abafar o caso?”, indagou.

Da mesma forma, a deputada Benedita da Silva (PT-RJ) e o deputado Alencar Santana Braga (PT-SP) cobraram explicações do ex-juiz. “Sérgio Moro cancelou a sua ida à Câmara dos Deputados, que estava marcada para a próxima quarta-feira (26), sem propor nova data para o comparecimento. O que houve?”, perguntou Benedita. Já Alencar Santana Braga disse que “Moro desistiu de ir à Câmara e correu para os EUA”. “Mas sua convocação é necessária. Tem muita coisa a explicar ainda”, destacou.

O deputado Bohn Gass (PT-RS) informou que já “preparava questionamentos que faria a Moro” quando soube do cancelamento da ida dele à Câmara. “Estranhíssimo, já que foi o próprio Moro marcou a data. Ele não sabia da viagem ou essa foi coisa arranjada para tirá-lo de cena? Aliás, o que ele foi fazer lá? ”, perguntou.

Sobre a desistência de Moro, a deputada Natália Bonavides (PT-RN) se manifestou no Twitter: “No Nordeste se diz: “frouxo”. Como é em latim?”. Na mesma linha, a deputada Maria do Rosário (PT-RS) explicou que “No Rio Grande do Sul se diz que não “aguenta o tirão”. E também perguntou: “Como se diz em latim?”.

Convocação

Apesar da fuga de Sérgio Moro, vários parlamentares avisaram que vão lutar agora pela convocação dele para prestar esclarecimentos na Câmara. O deputado Paulo Teixeira (PT-SP) escreveu ainda no domingo (23) que “amanhã [nesta segunda, 24] todos os partidos de oposição na Câmara Federal proporão a convocação de Sérgio Moro”.

O deputado Rogério Correia (PT-MG) enfatizou que o ministro da Justiça “agiu de má-fé” ao desmarcar um depoimento já marcado e que também vai entrar com requerimento para convocá-lo. “Ele agiu de má-fé e amanhã [nesta segunda, 24] já entro com requerimento de convocação na Comissão de Trabalho e Administração Pública”, avisou.

O motivo da ida de Moro aos Estados Unidos na atual conjuntura também foi criticado pelos parlamentares da bancada petista. Para o deputado Paulão (PT-AL), Moro “foi pedir orientação ao Tio Sam”. Já o deputado Joseildo Ramos (PT-BA), afirmou que “o ministro preferiu ‘prestar esclarecimentos’ aos órgãos de inteligência dos EUA”, e arrematou: “É hora de aprovarmos uma convocação”.

A agenda de Sérgio Moro nos Estados Unidos, até a próxima quarta-feira (26), prevê a visita a órgãos de segurança e de inteligência do governo norte-americano.

Crédito: Héber Carvalho via PT na Câmara