Solução para crise social é dar R$ 600 de ajuda para os chefes das famílias brasileiras

Enquanto Bolsonaro adia o debate do projeto de renda básica, PT reitera que a saída para diminuir a desigualdade é o Mais Bolsa Família. Programa aperfeiçoa a proposta original de Lula e Dilma e garante renda básica a mais de 30 milhões de pessoas.  O Palácio do Planalto não tem ideia de como assegurar que […]

8 out 2020, 19:56 Tempo de leitura: 3 minutos, 26 segundos
Solução para crise social é dar R$ 600 de ajuda para os chefes das famílias brasileiras

Enquanto Bolsonaro adia o debate do projeto de renda básica, PT reitera que a saída para diminuir a desigualdade é o Mais Bolsa Família. Programa aperfeiçoa a proposta original de Lula e Dilma e garante renda básica a mais de 30 milhões de pessoas. 

O Palácio do Planalto não tem ideia de como assegurar que 38 milhões de brasileiros, que hoje recebem o auxílio emergencial de R$ 300, não entrem na miséria a partir de janeiro. Ao adiar indefinidamente a decisão de onde tirar dinheiro para garantir renda básica a quem precisa, o presidente Jair Bolsonaro sabota o país e paralisa ainda mais a economia, sequestrando o futuro do Brasil. Sem querer mexer nos interesses do andar de cima, o ministro Paulo Guedes empurra com a barriga a decisão, porque na sua cartilha só há medidas impopulares e contra os interesses da maioria da sociedade.

Em entrevista ao El País nesta quarta-feira, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também denunciou a injustiça tributária brasileira, já que as classes altas no país não pagam impostos. O sistema tributário nacional só penaliza trabalhadores e os mais pobres. “Os ricos precisam pagar imposto nesse país”, cobrou Lula. “O governo erra ao considerar que o Estado só existe para garantir a rentabilidade do sistema financeiro”, denunciou Lula. “Não pode continuar assim. O Brasil voltou ao Mapa da  Fome, isso não pode ser o ‘novo normal’”.

Mais Bolsa Família

A proposta de aperfeiçoamento do Bolsa Família, que vai garantir dinheiro às famílias que tenham hoje até R$ 600 de renda por pessoa, já está tramitando no Congresso Nacional. O PT lançou uma plataforma para assegurar o apoio popular à tramitação do projeto. No site maisbolsafamilia.pt.org.br é possível assinar um formulário online em apoio ao programa de renda básica que pode assegurar uma retomada da economia e reduzir a histórica desigualdade brasileira. O projeto assegura R$ 300 por cada filho na família, além de dar o mesmo valor do benefício às mulheres grávidas e que estão amamentando.

No Plano de Reconstrução e Transformação do Brasil, lançado pelo PT em setembro, a legenda se propõe a colocar os mais ricos para pagar mais impostos, retirando a pesada carga tributária que hoje recai sobre os trabalhadores e a classe média. O PT propõe uma reforma tributária que isenta de IRPF as camadas mais pobres, com rendimento de até 3 salários mínimos mensais – hoje R$ 3.135 –, que atualmente somam 10 milhões de brasileiros.

Além disso, o PT defende um aumento de imposto para quem tem rendimentos superiores a 40 salários mínimos mensais – R$ 41.800 –, cerca de 0,33% da população do país. A maior taxação quanto à tributação do patrimônio e da riqueza recairá sobre apenas 60 mil pessoas, que somam 0,03% da população brasileira e concentra um patrimônio de cerca de R$ 2 trilhões. A reforma tributária que o PT propõe corrige a injustiça tributária e pode garantir o financiamento do Estado de bem-estar social.

Segundo deputado federal Carlos Zarattini (PT/SP) que é economista pela Universidade São Paulo, o projeto vai assegurar proteção social para as famílias mais vulneráveis e aquecer a economia. Ele avalia que o reajuste no valor pago e a ampliação no número de beneficiários vai garantir aumento do consumo. “A pandemia e o desgoverno Bolsonaro estão intensificando o número de pessoas em situação de vulnerabilidade social. Só um programa sério de transferência de renda poderá garantir comida na mesa dessas famílias. PT segue trabalhando pra defender o povo.”, destacou.



📲 Fale com o Zara: 11 99515-1370
🗣 www.dev.zarattinipt.com.br/whatszara

Matéria publicada no site Partido dos Trabalhadores e replicada neste canal.
Foto: Gustavo Bezerra