Petistas destacam importância de prisão inédita de bolsonarista que mentiu na CPI da Covid

Em decisão inédita, o presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), mandou prender o ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde Roberto Ferreira Dias, sob a acusação de mentir durante depoimento à comissão, nesta quarta-feira (7). Segundo integrantes do colegiado, o depoente cometeu o crime de perjúrio (falso testemunho) no decorrer da oitiva. […]

8 jul 2021, 10:44 Tempo de leitura: 2 minutos, 39 segundos
Petistas destacam importância de prisão inédita de bolsonarista que mentiu na CPI da Covid

Em decisão inédita, o presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), mandou prender o ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde Roberto Ferreira Dias, sob a acusação de mentir durante depoimento à comissão, nesta quarta-feira (7). Segundo integrantes do colegiado, o depoente cometeu o crime de perjúrio (falso testemunho) no decorrer da oitiva.

Dias foi acusado pelo cabo da PM Luiz Paulo Dominguetti de ter cobrado um dólar por dose da vacina AstraZeneca. Em depoimento recente à CPI, Dominguetti relatou que o ex-diretor, durante um jantar em um shopping, em Brasília, fez pedido de propina de um dólar por dose para negociar 400 milhões de doses da vacina ao governo federal.

“Não aceito que a CPI vire chacota. Nós temos 527 mil mortos e os cara brincando de negociar vacina. Por que que ele não teve esse empenho para comprar a Pfizer, que era de responsabilidade dele, naquela época? Por quê? Ele está preso por mentir, por perjúrio”, sentenciou Aziz, que ordenou a equipe de segurança legislativa do Senado a conduzi-lo: “Pode levar”, defenestrou.

Dias confirmou o encontro com Dominguetti, no último dia 25, mas disse que esse encontro foi “casual”. No entanto, o ex-gerente do MS foi exonerado no dia 29 de junho, justamente por cobrar propina.

Ao avaliar a ação do início de noite, na comissão, o ex-ministro da Saúde, deputado Alexandre Padilha (PT-SP) apoiou a tomada de decisão de Aziz. “A CPI não pode ser desrespeitada em suas prerrogativas de investigação. Os fatos que ela vem revelando, os crimes que estão sendo descobertos, muitos deles praticados por membros do governo, precisam ser investigados e esclarecidos”, opinou o deputado.

Áudios

Integrante da CPI, o senador Rogério Carvalho (PT-SE) apresentou durante a oitiva, áudios que desmentiram o ex-diretor do Ministério da Saúde. “Em nossa intervenção, revelamos áudios que comprovaram que Dias mentiu à CPI. O Brasil precisa conhecer toda a verdade. Não há mais espaços para mentira na CPI”, escreveu o senador em sua conta no Twitter.

Repercussão

Pelo Twitter, parlamentares da Bancada do PT na Câmara repercutiram a decisão da Comissão Parlamentar de Inquérito. Eles celebraram o primeiro caso de prisão em uma CPI.
“O happy hour acidental em que foi discutida a compra de 400 milhões de doses de vacinas com suspeita de superfaturamento acabou em prisão”, manifestou-se a presidenta Nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR).

O líder da Bancada do PT na Câmara, deputado Bohn Gass (PT-PR), também celebrou o primeiro caso de prisão em uma CPI. “O Presidente da #CPIdaCovid manda PRENDER o ex-Diretor de Logística da Ministério da Saúde, Roberto Dias. Senador Omar Aziz afirma que Dias mentiu descaradamente à CPI”, reproduziu o líder petista.

Carlos Zarattini (SP): “Clima fechou na #CPIdaCovid. Presidente da CPI, senador Omar Aziz, mandou a polícia do Senado prender Roberto Dias por seguir se esquivando de constatar as perguntas e insistir em mentir no depoimento”.

Matéria publicada originalmente no site PT na Câmara e replicada neste canal.