Nordeste luta por vacinas enquanto governo Bolsonaro cria obstáculos

Apesar de todos os obstáculos que o governo Bolsonaro tem colocado para a importação da vacina Sputnik V, os governadores do Nordeste e de outras regiões do país continuam mobilizados pela imunização da população. Na quarta-feira (21), o Consórcio Nordeste fez reunião com o Fundo Soberano Russo para garantir que a entrega do primeiro lote, […]

22 jul 2021, 12:29 Tempo de leitura: 2 minutos, 35 segundos
Nordeste luta por vacinas enquanto governo Bolsonaro cria obstáculos

Apesar de todos os obstáculos que o governo Bolsonaro tem colocado para a importação da vacina Sputnik V, os governadores do Nordeste e de outras regiões do país continuam mobilizados pela imunização da população. Na quarta-feira (21), o Consórcio Nordeste fez reunião com o Fundo Soberano Russo para garantir que a entrega do primeiro lote, com 1,1 milhão de doses, chegue ao Brasil no próximo dia 28.

Os governadores do Nordeste fecharam, em setembro do ano passado, a compra de 37 milhões de doses da Sputnik V, compradas por um preço US$ 2 mais barato que o negociado pelo governo Bolsonaro por meio de intermediadores. As vacinas já poderiam ter imunizado completamente mais de 18 milhões de pessoas (mais que o dobro do total que já recebeu duas doses na região). A Anvisa, no entanto, atrasou a autorização da vacina e, só depois de uma exaustiva negociação com os governadores, permitiu a importação inicial de 1,6 milhão de doses.

No entanto, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, criou uma nova dificuldade ao gerar dúvidas sobre a inclusão da vacina no Programa Nacional de Imunização (PNI), em audiência na segunda-feira (20), na Câmara dos Deputados. Segundo Queiroga, o país já teria doses “suficientes” para imunizar todos os adultos até o fim do ano. Os governadores do Nordeste prontamente reagiram e enviaram um ofício ao ministro questionando a afirmação e pedindo uma posição formal da pasta sobre a inclusão da Sputnik V no PNI.

“Segundo dados do próprio Ministério da Saúde, estão vacinados com duas doses aproximadamente 34 milhões de pessoas em todo o Brasil, correspondente a tão somente 15,98% da população, menos do que o quantitativo total da vacina Sputnik-V adquirida”, lembra o Consórcio Nordeste no documento, assinado pelo presidente do grupo, o governador do Piauí, Wellington Dias (PT). “Nesse sentido é que surpreende a informação repercutida na mídia nacional de que Vossa Excelência teria afirmado que a vacina Sputnik-V não é mais necessária, possuindo o país quantitativo suficiente de vacinas adquiridas”, completa.

Além do ofício, os governadores do consórcio agendaram para a quarta-feira reunião com o presidente do Fundo Russo, Kirill Dmitriev. A ele os governadores pediram para que, apesar do impasse criado pelo Ministério da Saúde, fosse mantida a previsão de entrega das primeiras doses no dia 28. “O esforço dos governadores do Brasil para que a gente tenha mais vacina tem sido uma corrida de obstáculos! A gente vence um obstáculo e aí aparece outro obstáculo. Ora é a Anvisa, ora é uma posição do Ministério da Saúde como aconteceu agora”, lamentou Wellington Dias. “Nós pedimos para que ficasse mantido o cronograma de entrega para que a gente possa rapidamente assegurar mais vacinas e salvar vidas no Brasil”, completou.

Por PT Nacional

Matéria publicada originalmente no site PT na Câmara e replicada neste canal.
Fotos: Site do PT & Divulgação