TCU investiga contrato de R$ 24 milhões por seguro de vacinas sem licitação do governo Bolsonaro

O Tribunal de Contas da União (TCU) investiga possíveis irregularidades em contrato do governo Bolsonaro. O órgão quer apurar suspeitas num contrato de R$ 24 milhões feito pelo Ministério da Saúde sem licitação. O valor foi pago para cobrir responsabilidades por eventos adversos das vacinas Janssen e Pfizer, informa a Folha. As tratativas do contrato foram […]

23 ago 2021, 16:57 Tempo de leitura: 1 minuto, 7 segundos
TCU investiga contrato de R$ 24 milhões por seguro de vacinas sem licitação do governo Bolsonaro
Foto: Felipe Menezes

O Tribunal de Contas da União (TCU) investiga possíveis irregularidades em contrato do governo Bolsonaro.

O órgão quer apurar suspeitas num contrato de R$ 24 milhões feito pelo Ministério da Saúde sem licitação.

O valor foi pago para cobrir responsabilidades por eventos adversos das vacinas Janssen e Pfizer, informa a Folha.

As tratativas do contrato foram feitas por Danielle Cavalcanti Sayao, que não tem cargo público.

Ela fez uma “doação de serviços” sem remuneração.

A advogada foi indicada para a função por Zoser Hardman, assessor especial de Pazuello, que já defendeu milicianos na Justiça.

TCU já cobrou justificativas do governo

Em 15 de julho, o TCU cobrou justificativas do Ministério da Saúde.

Eles questionam a seleção de advogados de fora do governo e aponta inconsistências na busca por propostas.

O tribunal também reclama que não há argumentos sólidos para estimar os valores mencionados na apólice.

A pasta calculou de forma genérica o valor da cobertura.

Foi usado como base para o montante “condenações do Judiciário brasileiro para casos análogos”.

A pasta apontou “desconhecimento dos resultados” no uso dessas vacinas.

Matéria publicada originalmente no site Diário do Centro do Mundo e replicada neste canal.